Woman holding a slice of cucumber

Alimentação e longevidade: entenda a relação

A cada dia mais, as pessoas buscam alternativas que previnam ou resolvam doenças e garantam a sua qualidade de vida. Contudo, não há uma fórmula mágica para isso. O que há é uma importante relação entre alimentação e longevidade. Você sabe como os alimentos influenciam na sua expectativa de vida? Então, não deixe de ler esse artigo. Nas próximas linhas você  irá entender tudo sobre os benefícios dessa combinação.

Qual a influência dos bons hábitos alimentares no organismo?

A alimentação tem um peso enorme na nossa saúde e exerce grande influência na forma como o organismo responde aos estímulos positivos e negativos. Uma dieta balanceada que contenha os nutrientes necessários beneficia várias funções do corpo como, por exemplo:
  • Melhora a ação do sistema imunológico, fazendo com que tenhamos uma recuperação mais rápida de doenças e lesões;
  • Metabolismo;
  • Ajuda a evitar o desenvolvimento de diabetes;
  • Protege o coração das doenças cardiovasculares;
  • Afasta o risco de câncer.
E esses são apenas alguns exemplos de benefícios adquiridos por uma boa alimentação. Os bons hábitos alimentares permitem que o corpo se renove a cada dia.

O que é considerado uma alimentação saudável?

Não se engane, a alimentação saudável não está relacionada com a manutenção de dietas da moda e sacrificantes, mas sim com uma dieta balanceada. Essa dieta equilibra a ingestão diária de todos os nutrientes exigidos pelo corpo, mantendo o seu bom funcionamento. O Ministério da Saúde brasileiro desenvolveu o Guia Alimentar para a População Brasileira que consiste na reunião de 10 dicas de alimentação saudável para cada refeição do dia. São elas:
  1. Prefira alimentos in natura ou minimamente processados;
  2. Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em quantidades reduzidas;
  3. Limite a ingestão de alimentos processados;
  4. Evite os alimentos ultra processados;
  5. Procure alimentar-se em ambientes tranquilos e limpos, dando atenção à refeição;
  6. Prefira fazer suas compras em locais que oferecem variedades de alimentos in natura e escolha os orgânicos e agroecológicos;
  7. Aprenda a cozinhar;
  8. Planeje a alimentação e distribua as responsabilidades pelas refeições a cada membro da casa;
  9. Quando optar por comer em restaurantes, escolha aqueles que fazem a comida na hora;
  10. Seja crítico com todas as informações divulgadas sobre produtos alimentícios e aconselhe seus amigos e familiares a fazerem o mesmo.

Como a alimentação influencia nossas emoções?

Uma das principais razões que justificam a relação entre alimentação e longevidade é a forma como os bons hábitos alimentares influenciam no envelhecimento cerebral. Um cérebro saudável significa a preservação das funções cognitivas e a redução dos casos de neuropatias. Os flavonoides, estilbenos, ômega 3, folato, zinco e as vitaminas A, C, D e E são os nutrientes que desempenham diversos efeitos benéficos para reduzir os danos que o envelhecimento provoca no cérebro. Esses compostos podem ser encontrados em pequenas frutas, tais como, amora, jambolão, jabuticaba, açaí, acerola e pitanga.  Além de tudo isso, uma dieta equilibrada quando aliada à prática de exercícios físicos, melhora a qualidade do sono reparador, uma das etapas mais importantes do sono, pois promove a consolidação das memórias e a formação de novas lembranças. Acredito que agora você entendeu a relação entre alimentação e longevidade. Afinal, se ficamos menos expostos a doenças e evitamos o envelhecimento do cérebro, viveremos por mais tempo. Quer saber mais? Clique no banner e saiba mais sobre medicina integrativa.

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp